Boas dicas para ajudar uma criança a configurar um perfil online.

Boas dicas para ajudar uma criança a configurar um perfil online.

Promover junto dos jovens uma utilização segura da Internet envolve um equilíbrio difícil: se por um lado é importante garantir que estejam protegidos contra o assédio e a invasão da privacidade a que podem estar sujeitos online, por outro lado é irrealista pensar que se consegue impedir que uma criança utilize estes serviços nos dias de hoje.

De facto, temos de aceitar a realidade em que vivemos e os educadores de crianças pequenas – desde os membros da família, aos professores, passando pelos profissionais de saúde – precisam de se focar em fazer tudo o que estiver ao seu alcance para garantir que os jovens utilizam de forma tão segura e responsável quanto possível os serviços online.

Uma das melhores maneiras de assegurar que as crianças se mantêm online de forma segura é ajudá-las a tomar precauções quando configuram um novo perfil para um serviço digital. Os perfis são necessários para acedermos a uma variedade de sites e redes socias, bem como a recursos necessários para trabalhos escolares, mas também podem representar um risco se as crianças não forem cautelosas na sua criação. No entanto, esses riscos são relativamente fáceis de mitigar, permitindo que os jovens aproveitem os serviços online sem se colocarem em perigo bastando para isso seguir algumas dicas de segurança simples.

Use um nome seguro

Escolher o nome certo do utilizador é uma das partes mais importantes do processo de configuração, pois as crianças irão precisar de um nome que lhes permita encontrar e interagir com amigos online, sem dar demasiada informação sobre si própria.

Como tal, é melhor certificar-se que os jovens não incluem os seus nomes completos ou a data de nascimento no seu nome de utilizador (username), pois esse tipo de dados pessoais pode ser facilmente ser utilizado por usuários mal-intencionados; a utilização de um nome falso ou enganador também deve ser desencorajado, pois isso não é condicente com o tipo de interações honestas e abertas que se pretende que eles tenham online.

Como opção pode escolher uma alcunha ou outro nome qualquer que faça sentido entre o círculo de amigos. As crianças devem também ser desencorajadas a ligarem-se a estranhos online. Oriente-os e esteja presente quando perceber que recebem convites ou pedidos de outros utilizadores.

Criar uma password que seja segura

Independentemente da idade, a segurança da senha (password) é um dos métodos mais importantes para manter a sua segurança online, pelo que é da responsabilidade dos adultos ensinar as tratar este assunto com seriedade.

Naturalmente, o instinto da maioria das crianças será selecionar uma palavra que tenha significado para elas ou que seja de fácil memorização, mas devem ser alertadas para a facilidade com que alguém pode adivinhar, tornando a sua conta e dados pessoais vulneráveis. Uma ideia ainda pior seria selecionar algo excessivamente genérico, como a palavra “senha” – a segunda senha mais usada no Reino Unido em 2016, apesar da facilidade de adivinhar.

Criar uma senha segura pode certamente incorporar algum tipo de frase memorável, mas é melhor misturá-la, incluindo no mínimo dez caracteres, letras maiúsculas e minúsculas, números e letras. As crianças também devem ser encorajadas a mudar a senha regularmente para tornar o acesso à conta ainda mais seguro.

Não permita que a imagem do perfil dê demasiados detalhes

Muitos perfis online permitem aos utilizadores carregar (upload) imagens pessoais. As crianças acham divertido partilhar fotos suas com os seus contatos, pelo que vale a pena alertar para o facto dessas imagens poderem dar-nos a conhecer mais do que é pretendido.

Por exemplo, é melhor não carregar fotos com números de casas ou nomes de ruas visíveis em segundo plano, pois isso pode facilitar a localização física de uma família a utilizadores mal-intencionados; atenção à escolha de roupas especialmente uniformes escolares.

Os pais e educadores devem lembrar-se que muitas das fotos tiradas com os smartphones são extremamente pormenorizadas, pelo que mesmo uma pequena informação visual imprecisa ou sem nitidez pode ser ampliada.

Conheça as opções de monitorização

Deixar uma criança controlar a utilização da sua própria utilização da internet pode ser importante no desenvolvimento da sua independência mas, ao mesmo tempo, é irresponsável deixá-los totalmente sem supervisão.

Por isso, é aconselhável que os adultos vejam as várias opções de monitorização disponíveis na altura da configuração de uma nova conta. Muitos serviços on-line oferecem aplicações de controlo parental que permitem aos responsáveis acompanhar a sua utilização ou colocar limitações em determinados recursos, como comunicações de voz ou despesas em pequenas transações.

Também pode ser boa ideia criar um endereço de e-mail da família para configurar contas online para as crianças, pois isso permite que os pais observem atividades e notificações das contas dos mais jovens sem inundarem as suas próprias caixas de correio com spam.

Fonte :
UK Safer Internet Centre

Related Posts

Nenhum resultado encontrado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Fill out this field
Fill out this field
Por favor insira um endereço de email válido.
You need to agree with the terms to proceed

Menu

Ao continuar a utilizar este site, concorda com a política de cookies. mais informações

Ao navegar no site estará a consentir a utilização de cookies. Para obter mais informação acerca de cookies e da forma como são utilizados no website da Media Smart, visite a nossa página de "Política de Cookies" ou a página de "Política de Privacidade".

Fechar